You are here

Prêmios

Checagem feita pela AFP no Brasil e Argentina ganha prêmio Infovacina de Jornalismo

 

A checagem “Certificados usados na Alemanha nazista não são comparáveis ao passaporte sanitário da covid-19”, feita em conjunto pelas equipes de verificação da AFP no Brasil e na Argentina em dezembro de 2021, foi a principal vencedora do Prêmio Infovacina de Jornalismo, concedido pela agência brasileira Bori neste mês de fevereiro. 

O texto desmentiu a alegação - amplamente difundida em redes sociais - de que o passaporte sanitário adotado por diversos países em meio à pandemia de covid-19 seria equivalente a certificados usados na Alemanha nazista. Uma das comparações era com o certificado de ancestralidade, usado para provar que alguém tinha origem ariana. "Estamos falando de morte, de genocídio, de extermínio, não estamos falando de proteção dos outros, então não tem comparação”, explicou Michel Gherman, coordenador do Núcleo Interdisciplinar de Estudos Judaicos e Árabes (NIEJ) da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), à AFP para o texto.

O Prêmio Infovacina foi concedido ao final de um programa de mentoria jornalística coordenado pela Agência Bori, com apoio do Sabin Vaccine Institute. Reuniu repórteres de 13 estados brasileiros com cientistas de dados e da área médica.