You are here

Imprensa

Fotógrafo afegão da AFP ganha Pulitzer 2012

Massoud Hossaini recebeu o prêmio Pulitzer, um dos mais prestigiados do jornalismo mundial, na categoria “breaking news” nesta segunda-feira, em Nova York.

A foto premiada mostra uma menina vestida de verde aos prantos entre as vítimas de um atentado em Cabul no dia da Ashura, em 6 de dezembro de 2011.

 

06/12/2012 - Kabul, Afghanistán- AFP / Masud Hossaini

 

Massoud Hossaini, Aos 30 anos de idade e de origem afegã, Hossaini estava a poucos metros de um santuário xiita, palco de uma explosão que matou 80 pessoas e150 feridos. "Mulheres e crianças estavam reunidas na calçada, não muito longe da mesquita, para acompanhar a procissão. Vi muitas crianças feridas, que já não se mexiam", descreve o fotógrafo. "Entre elas estava uma menina nos seus doze anos de idade, coberta de sangue. Ela não sabia o que fazer (...), estava desesperada e chorava muito".

Esta mesma foto foi premiada no  World Press Photo Award en 2011 em fevereiro, com o segundo lugar na categoria “Informação”.

 

"Uma simples foto, fascinante, da qual nos lembraremos por muito tempo", ressaltou durante uma entrevista coletiva à imprensa o organizador do prêmio Pulitzer, Sig Gissler.

 

Em uma mensagem parabenizando o fotógrafo, o Presidente e CEO da France-Presse, Emmanuel Hoog, ressaltou que o prêmio Pulitzer honra um dos mais corajosos e brilhantes fotógrafos da agência.

 

Massoud Hossaini manifestou sua felicidade por ser o primeiro afegão a ganhar um Pulitzer, mas fez questão de ressaltar o maior objetivo de um fotógrafo com suas imagens: conscientizar todos a respeito de uma realidade muitas vezes cruel. “Tenho muita honra em ser afegão e poder testemunhar a dura realidade enfrentada pelo povo daqui. Eu sei que muitos que virem esta foto pensarão primeiro no fotógrafo, mas o que eu realmente espero é que eles nunca se esqueçam do sofrimento encarado pelo povo afegão”.

 

 

Newsletter AFP

Assine a Newsletter AFP

A rede mundial da AFP

200 escritórios pelo mundo cobrindo
150 países

Saiba mais

Contato AFP

Você quer fazer um comentário? Escreva-nos...